Ataque químico seria motivo de retaliação à Síria

0
31
Ataque químico com gás Sarin em Duma, no último dia 7, contra a população Síria supostamente pelo ditador local Bashar Al Assad foi o motivo apontado pelos Estados Unidos para ofensiva conjunta com França e reino Unido. Síria e Rússia negam.

Os Estados Unidos, em conjunto com o Reino Unido e a França lideraram um ataque a supostos armazéns e depósitos de armas químicas e biológicas na Síria elevando ainda mais a escalada de tensão internacional que se agravou na última semana.

O ataque foi anunciado pelo presidente americano, Donald Trump, em discurso no final da noite desta sexta-feira, 13, na Casa Branca, enquanto era realizada a ação militar. A ofensiva ocorre resposta a supostos ataques com armas químicas a mando do ditador sírio Bashar Al Assad contra seu próprio povo.

No último sábado, 7, a cidade de Duma, próxima à capital Damasco, sofreu dois bombardeios que deixaram centenas de mortos e feridos.O ataque ocorreu após negociações mal sucedidas para resgatar combatentes pertencentes ao grupo Yaish al Islam,. No local se encontravam os últimos rebeldes do grupo contrário ao ditador Al Assad.

Os Estados Unidos, juntamente com a França, negam a culpa em relação aos eventos. As nações anunciaram na ocasião que, juntamente com o Reino Unido, tomariam medidas militares em resposta à atrocidade. No entanto, de acordo com o chanceler russo Serguei Lavrov, o culpado do acontecimento seriam “os países estrangeiros”.

Por volta das 16h, ocorreu o primeiro ataque. As pessoas atendidas após o bombardeio apresentavam sintomas como problemas respiratórios e irritação nos olhos.

O segundo bombardeio ocorreu mais ou menos as 19h30. De acordo com os socorristas, os pacientes, que já apresentavam odor de cloro, teriam agora cianose e espuma bucal.

Ao que tudo indica, nos ataques foi utilizado gás cloro para disfarçar o possível emprego do gás sarin, que afeta principalmente o sistema nervoso central segundo a União de Organizações de Cuidado Médico. A rede Síria de Direitos Humanos e o centro de Documentação de Violações também confirma o afirma o ataque.

Segundo investigadores, 43 mortes foram confirmadas com sintomas de ataque químico e mais de 500 pessoas foram hospitalizadas, sendo a maior parte formada por bebês, crianças e mulheres.

Em relação às medidas a serem  tomadas, as informações são desconexas. Sabe-se que a Organização para a Proibição de Armas químicas foi acionada, e parte da sua equipe já está no território para a inspeção. Porém, fontes afirmam que organizações internacionais humanitárias estariam impedidas de entrar em Duma desde Março. As proibições se perpetuariam até hoje, principalmente relacionada a investigação de imprensa.

Já nesta sexta-feira,13, durante discussão na ONU, Lavrov afirmou que existe uma campanha “russofóbica” entre os acontecimentos. O exército Russo, aliado do ditador Bashar al-Assad, declarou Reino Unido culpado pelos acontecimentos.

A embaixadora do Reino Unido, Karen Pierce, respondeu a acusação como “mentira grotesca”.

De acordo com o secretário da ONU, Antônio Guterres, o Oriente Médio se encontra em completo caos, numa guerra fria repleta de vinganças, e pediu medidas responsáveis para os países. Declarou também, que a dificuldade de encontrar um acordo, ameaça uma “escalada militar”. Em resposta, o presidente russo Vladimir Putin culpou os Estados Unidos pelo Caos na região.

Representantes sírios deixaram claro que o País tomará medidas defensivas caso seja atacado pelo ocidente. “Isso não é uma ameaça, é uma promessa” conclui Bashar Jaafari.

Clarissa Lodi

Supervisionou Guilherme Rocha

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here