Relembre: Crianças morrem carbonizadas em casa no ES; pai é acusado de estupro e de duplo homicídio

0
30

Luís Alves

O Pais

Duas crianças morreram carbonizadas em um incêndio residencial em Linhares, no Norte do Espírito Santo, na madrugada do dia 21 de abril. Segundo depoimento do pai das vítimas, os dois irmãos, de três e seis anos, dormiam quando o quarto começou a pegar fogo. Quando os bombeiros chegaram ao local, os dois já estavam sem vida.

O pai, conhecido como pastor George Alves (36), contou em seu depoimento que assistiu a um filme com os filhos naquela noite e depois os colocou para dormir. Durante a madrugada a babá eletrônica – que monitorava as crianças – emitiu sinais sonoros que o despertou. Quando ele, então, ouviu os gritos dos filhos. Segundo ele, o cômodo estava fechado e com o ar-condicionado ligado.

O pai afirmou ainda que não conseguiu entrar no quarto e nem conter as chamas, que já estavam altas. Segundo o Corpo de Bombeiros os vizinhos também tentaram ajudar, mas também não conseguiram.

A mãe das crianças, que também é pastora, estava participando de um congresso em Teófilo Otoni (MG), acompanhada do filho mais novo do casal. Na ocasião, o pastor, em estado de choque, foi levado para um hospital.

Triste reviravolta

No entanto, sete dias depois – no dia 28 – George Alves foi preso temporariamente, sob acusação de estar atrapalhando as investigações. O mandato teria validade de 30 dias. A Polícia Civil afirmou que o pastor mudou o local do crime e fez contatos com testemunhas dos fatos.

A esposa de George Alves, Juliana Sales, afirmou na ocasião que – segundo a linha de investigação da polícia – a prisão do marido já era esperada.

Conclusão do inquérito

Pouco mais de um mês transcorrido do acidente, a Polícia Civil concluiu que o pastor matou o próprio filho, Joaquim Alves Salles de 3 anos, e o enteado Kauã Salles Butkovsky de 6 anos. O resultado do inquérito policial foi divulgado no dia 23 de maio. A perícia apontou ainda que ele estuprou, agrediu e depois colocou fogo nas crianças, enquanto elas ainda estavam vivas.

As acusações contra George Alves foram baseados nos laudos oficiais como os de exame de necrópsia, exame de sangue das crianças, laudo de corpo de bombeiros, perícia da policia civil, perícia computadorizada (simulador do incêndio), exame de corpo de delito no pastor, exame de DNA, exame de luminol ( que comprovaram vestígios de sangue pela casa); e PSA (exame que mostrou a presença de sêmen no ânus dos meninos).

As investigações concluíram ainda que não havia vestígio de curto circuito ou de origem de sangue no local, bem como apontaram que havia somente uma queimadura na sola do pé do pastor, o que incompatibilizaria seu depoimento com os fatos transcorridos.

Segundo as investigações, a mãe não tem envolvimento com o crime. No entanto, pode ser responsabilizada por deixar os filhos sozinhos com o marido.

Supervisão Guilherme Rocha

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here