Roda de Conversa: um projeto inovador que rompe com a política velha e integra sociedade, candidatos, imprensa e internet

0
117

Cara-a-cara com a sociedade e ao vivo pela Redes Sociais, candidato ao Senado pelo Mato Grosso Adilton Sachetti não foge de perguntas e responde sobre qualquer assunto. Formato moderniza campanha política e vira modelo no Estado. População mato-grossense aprova proposta.

Nem todo político tradicional é antiquado e tem pensamentos ultrapassados. E o melhor exemplo disso vem de Mato Grosso: Adilton Sachetti (PRB), segundo Deputado Federal mais votado pelo Estado, ex-Prefeito de Rondonópolis (MT), e atual postulante a uma das duas vagas ao Senado Federal pela Unidade da Federação.

Adilton Sachetti tem 62 anos e está em pleno exercício do mandato. Apenas estes dois fatos – se analisados isoladamente – endossariam à campanha do candidato uma rejeição de mais de 70%, segundo a opinião do eleitorado brasileiro mostrada no último levantamento do Ibope. Naturalmente, tamanha rejeição seria fatal às pretensões de Sachetti para o pleito de 2018.

No entanto, parece que o bom desempenho do candidato ao Senado em seus trabalhos anteriores, a solidez em suas propostas e sua super sinceridade (que até já virou meme na internet) têm ajudado no seu desempenho. Isso, é claro, somado a um projeto arrojado e inovador, que rompe com o modelo tradicional de se fazer política e vem encantando o Estado.

Roda de Conversa

Sachetti está realizando em todo o Mato Grosso um programa-evento chamado Roda de Conversa. A organização do encontro funciona de maneira simples: a população, convidada pelas redes sociais e por folhetos impressos distribuídos na cidade, se sentam em um semi-círculo. Ali, também no meio ao povo, integrada à Roda de Conversa, a imprensa. Em parte como sociedade, em parte como representante natural dos anseios críticos deste mesmo povo.

Ao centro, estilo Talk Show, Adilton Sachetti, é um dos sabatinados do programa. Acompanham o concorrente ao Senado, de dois ou três outros convidados, todos candidatos. E não há restrições por partido ou privilégios para aliados da coligação.

Os escolhidos sempre são políticos locais ou líderes comunitários que emergiram da região sede da discussão, capazes de discutir as necessidades locais em alto nível. Segundo a assessoria do evento, a decisão é sempre em prol da população.

Um dos convidados, participantes da primeira Roda de Conversa, o atual Senador e candidato a Deputado Federal José Medeiros (Podemos), elogiou muito o formato do programa “o evento é algo realmente inovador. É muito bom participar de um projeto assim. Estar com a população, estar com um parceiro que é o Sachetti. Responder questões da população e fazê-lo para todo o Estado por meio da internet. É algo que te possibilita pensar junto com o povo, planejar juntos um futuro”, elogia.

 

Os locais

Com autorização das Prefeituras e secretarias competentes; e apoio da Polícia Militar, Guarda Municipal e Corpo de Bombeiros; candidatos e população se encontram em praça pública. Geralmente a mais movimentada da cidade.

Não há interferência no trânsito, não há incômodo com carros de som e não há sujeira. A equipe do candidato realiza mutirão de limpeza antes e depois do evento, devolvendo o local da praça em condições melhores que quando recebida. É o que chamam de ação positiva pela cidade.

O espaço é democrático e todos os que passam por ali são bem-vindos, mesmo que concorrentes, ou de posições contrárias.

O Formato

Com todos reunidos, um apresentador conduz a apresentação do programa. Os convidados se apresentam e em seguida é iniciada a sabatina aos candidatos. A proposta – como Roda de Conversa – é que se responda uma pergunta vinda da plateia, a sociedade reunida ali, uma pergunta vinda da internet – se for em vídeo podendo ser projetada no telão, e uma pergunta da imprensa. E assim sucessivamente.

As perguntas são colhidas em tempo real, podendo surgir qualquer tipo de questionamento, a qualquer um dos candidatos.

Avaliação

O programa ainda está na segunda edição, mas – certamente – vem mais por aí. De acordo com o marqueteiro digital, responsável pela organização do evento e idealizador do projeto, Marcelo Senise, a proposta é inovadora e agrega grande valor ao universo político. “Essa proposta foi iniciada com Eduardo Campos, continuada pela Marina Silva, e também realizada pelo Rodrigo Rollemberg em Brasília, na campanha para Governador”, lembra.

Na visão de Senise, o aspecto mais importante é levar a comunicação de Sachetti ao maior número possível. “O projeto existia, mas ninguém pensou em abrir o formato para o digital. A sociedade está na internet e se comunica por lá. Se expressa por lá. Decidimos então abrir esse formato, sobretudo num Estado tão amplo como o Mato Grosso, para levar as propostas do Senador a cada pessoa que deseja conhecê-lo e entender um pouco mais do seu projeto, em prol das pessoas”, defende.

 

Custos e alcance

A Roda de Conversa custa em média R$ 10 mil reais para ser realizado, contando com equipamentos de som, luz, cadeiras, telão, organização, pessoal e transporte. Segundo avaliação da comitiva de Sachetti, o valor equivale a cerca de 30% do valor de organização de um comício, realizado à moda antiga.

Considerando uma campanha majoritária, um comício atinge cerca de 500 a três mil pessoas, com custo entre R$ 30 mil e R$ 40 mil. A transmissão da Roda de Conversa alcança, pessoalmente, cerca de 200 pessoas, e – mais de 13 mil pessoas online e de forma orgânica. O resultado é – pelo menos – quatro vezes melhor.

Sucesso

A primeira Roda de Conversa, foi realizada em Rondonópolis (MT), cidade onde Adilton Sachetti foi Prefeito (2005 – 2008), localizada a cerca de 200 km no sentido sudeste de Cuiabá. A segunda edição, realizada nesta quarta-feira, 12, ocorreu no bairro do Pedra 90, na capital cuiabana.

Por ser considerado um investimento de alto valor e de baixo custo, outras Rodas de Conversa já estão agendadas no Estado: Barra do Garça (MT), a leste do Estado, na região do Vale do Araguaia (a cerca de 500 km de Cuiabá), prevista para este sábado 15; e em Várzea Grande, na Baixada Cuiabana, prevista para a próxima semana. As informações detalhadas estão descritas na página oficial de Facebook de Adilton Sachetti.

Reproduzir e continuar

O projeto cresceu tanto que o candidato ao governo do Estado da coligação de Adilton Sachetti, o então Senador Wellington Fagundes (PR), pediu autorização e apoio de Sachetti para reproduzir o formato em sua campanha. A decisão foi prontamente acolhida por Adilton Sachetti e por seu marqueteiro.

Sachetti se mostra satisfeito com a repercussão da Roda de Conversa. Para o candidato, a proposta concretiza um desejo antigo de aproximação que ele nutre. “Há uma grande rejeição à classe política. E muitas pessoas não desejam mais sequer votar ou ouvir. Nós queremos mostrar que temos disposição em escutar a população e fazer diferente. Muitas vezes só não sabemos como fazer essa aproximação”, pondera.

Para ele, a ideia é uma oportunidade única de fazer a diferença e viralizar a iniciativa. “A política ainda tem jeito. E esse jeito é junto do povo. Trabalhando lado a lado com o eleitor. Não só durante a campanha, mas principalmente durante o mandato. Nós não vamos parar por aqui”, garante.

Sim, há expectativa de mudanças. E essa esperança vem de Mato Grosso.

Guilherme Rocha

Editor-Chefe – O País

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here